A chegada da babá

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Por Huggies Fraldas da Mônica para bebe.com.br

O fim da licença-maternidade está próximo e você planeja deixar seu bebê em casa com uma cuidadora? Então, é hora de se planejar. O ideal é combinar - com um ou dois meses de antecedência - que a futura babá passe algumas horas com a família no período de duas semanas. 

Assim, a profissional pode ir conquistando a criança. Se o bebê sinalizar que aceita sua presença, numa segunda etapa ela pode acompanhar vocês em um rápido passeio de carrinho. Depois, ela ficará ao seu lado como observadora, entendendo o jeito materno de fazer. Conforme o entrosamento, em pouco tempo ela estará dando banho, trocando a fralda e interagindo completamente com ele. Depois, a mamãe vai levemente saindo de cena, até que, em sua ausência, a babá assume a tarefa. 

Rotinas sagradas - Todo bebê tem uma rotina. Só precisamos saber qual é! Se ele gosta de dormir pela manhã, nada de querer impor um despertar às 6 horas só porque a babá chegou. É muito importante respeitar o esquema já sinalizado pelo bebê em relação às sonecas, ao banho, às mamadas, à alimentação e à recreação - horário e local para brincar. Mesmo que vá fazer um revezamento de cuidadoras (um dia com a babá, outro com a avó ou com o pai, por exemplo), é fundamental que a rotina seja sempre a mesma, para não irritar ou confundir o bebê. A previsibilidade é mais uma forma de dar segurança ao pequeno, assim ele sabe o que vai acontecer mesmo sem a mamãe estar por perto. 

Selo de confiança - O principal ingrediente da relação entre mãe e cuidadora é a confiança. É preciso que você confie nela, por isso procure indicações de profissionais e observe atentamente os sinais que seu filho dá quando está com ela. Se promover uma funcionária doméstica -– que já trabalha com a família – ao cargo de babá, há uma dica valiosa: ofereça a ela um curso de cuidados com bebê, para que se torne ainda mais capacitada. 

É importante que a babá confie em você para lhe contar tudo que se passou, sem medo de bronca quando algo dá errado (caiu e machucou, por exemplo). Uma relação franca e profissional, em que cada uma sabe seu papel, é a que vai beneficiar seu filho. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela a atenção!