Cadeirinha de carro para um transporte seguro

segunda-feira, 25 de março de 2013

Por Bruna Stuppiello  para bebe.com.br

Especialistas apontam o que você deve levar em consideração ao escolher o dispositivo de retenção infantil e ensinam como posicionar seu filho, de forma correta, na cadeirinha. 

O dispositivo de retenção infantil, mais conhecido como cadeirinha, é essencial para a segurança das crianças nos veículos. De acordo com uma pesquisa do Departamento de Transportes dos Estados Unidos, o acessório reduz o risco de morte dos passageiros de carro em 71%, no que se refere aos bebês e 54%, quando se trata de crianças de um a quatro anos.

No Brasil, os resultados também são positivos. Durante o primeiro ano de vigência da Lei da Cadeirinha, o número de mortes de crianças com até 10 anos em acidentes de trânsito diminuiu 23%. Então, saiba como comprar a cadeirinha certa para seu filho e quais os cuidados para sua instalação.

Os grupos de cadeirinha
De acordo com o a engenheira Milene Cleto, técnica da divisão de programas de avaliação da conformidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), as cadeirinhas são classificadas segundo o grupo de massa. “Esse critério envolve o peso, a idade e o tamanho aproximado da criança. Mas, o peso é o quesito mais relevante”, explica Cleto.

Os tipos de dispositivos de retenção infantil disponíveis estão divididos em:

Grupo 0:  este bebê conforto é voltado para bebês de até 10 quilos, altura aproximada de 0,72 cm e até 9 meses de vida;
Grupo 0+: este outro modelo de bebê conforto é destinado a bebês de até 13 quilos, com altura de 0,80 cm e até 12 meses de vida;
Grupo 1: esta cadeirinha é indicada para crianças de 9 a 18 quilos, cerca de um metro e idade até 32 meses;
Grupo 2: esta cadeirinha ou assento de elevação é voltado para crianças de 15 a 25 quilos, 1, 15 metro e com idade de até 60 meses;
Grupo 3: é voltado para crianças que pesam entre 22 e 36 quilos, 1,30 metro de altura e até noventa meses de idade.

Existem dispositivos que podem ser usados por crianças de até 10 anos, mas a obrigatoriedade é até os sete anos e meio. “Com a altura entre 1,35 e 1,40 metro, a criança pode deixar o assento de elevação, desde que o cinto passe nos pontos corretos”, explica o médico especialista em tráfego, Mauro Augusto Ribeiro, presidente da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego.

A compra da cadeirinha
Ao adquirir o dispositivo, os pais devem ficar atentos a algumas questões. “É importante que eles observem como ele se adapta ao carro, além das facilidades de instalação. Também vale fazer com que o filho se sente na cadeirinha, a fim de avaliar se está confortável”, aconselha o engenheiro mecânico Celso Arruda, professor de segurança veicular do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Há cerca de 90 marcas de cadeirinhas no mercado nacional e as variações de preços são grandes, porém, isso não significa que seu filho correrá riscos se você optar por um modelo mais barato. “Todos eles têm o selo do Inmetro e, por isso, são seguros. Existem apenas algumas diferenças marcantes. O tecido pode ser antitóxico e à prova de inflamação ou não. Também há cadeirinhas que permitem várias posições de inclinação e apoios laterais, que proporcionam maior conforto à criança”, explica Arruda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela a atenção!