O melhor de 2013 à você!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012


Homenagens, reconhecimento, muitos convites, entrevistas, novas parcerias...


Tudo isso fizeram com que 2012 fosse um ano de grande sucesso, muitas alegrias. Grande aprendizado!



Tudo, devo a força maravilhosa que vem do meu Pai Celestial. À minha família, que tanto motiva me em todos os momentos: meu marido maravilhoso e o filhotito. Aos amigos que elogiam. Ao apoio de parceiros únicos. E claro, à você leitor!



Hoje são quase 2000 mil interações diárias com o www.patriciafinottiopiniao.blogspot.com, que fazem que a cada novo dia em 2013, eu e minha equipe procuremos trazer o melhor do papo de Mothern para você!



O melhor de 2013 à todos!!!

A madrasta dos filhos

domingo, 30 de dezembro de 2012

Por Natura Mamãe e Bebê

Esqueça a bruxa má da Branca de Neve e procure encarar com tranquilidade o bom relacionamento entre o seu filho e a madrasta


É cada vez mais comum os casamentos terminarem quando os filhos são bem pequenos. Em muitos casos, ainda bebês. Cada um vai para o seu lado e, um belo dia, o ex aparece com uma nova namorada para chamar de sua, uma candidata a madrasta para o pequerrucho, com quem ele vai acabar convivendo, mais cedo ou mais tarde. Aí começa a surgir uma série de questionamentos na cabeça da mãe: "Será que meu bebê gostará mais dela do que de mim?", "Ela cuidará bem dele na minha ausência?", ou, ainda pior, "Ela vai tentar roubar o meu lugar?". 

"É uma situação delicada mesmo, são muitos os sentimentos em jogo, principalmente quando a separação é recente", ressalta Magdalena Ramos, terapeuta de casais e de família e autora do livro E Agora o que Fazer – A Difícil Arte de Criar os Filhos (Editora Ágora), escrito em parceria com o pediatra Leonardo Posternak. "Sei que é mais fácil falar do que colocar em prática, mas temos que tentar separar as emoções desse pacote e identificar o que é ciúme, o que é posse, o que é inveja", completa a especialista. 

Por mais machucados que os adultos possam estar, eles têm que colocar o filho como prioridade e jamais usá-lo como uma arma para atacar o outro. Muitas vezes a mãe faz uma série de pré-julgamentos sobre a nova madrasta do filho antes mesmo de conhecê-la. O ideal é fugir desse tipo de atitude, por mais difícil que seja. Considere que, se houver uma relação de carinho entra ela e o seu filho, isso será bom para o pequeno. "Afeto não tem limite, não existe uma cota determinada. E a mãe pode ficar sossegada que o lugar dela está assegurado", finaliza Magdalena.

Você Conhece? Bacamarte - Depois do Fim

sábado, 29 de dezembro de 2012

Por Fábio Finotti para rockontro.com

Fábio Finotti

Bacamarte é uma banda brasileira de rock progressivo iniciada em 1974, e formada porMário Neto (violão e guitarra), Delto Simas (contra-baixo e violoncelo), Marco Verissímo(bateria), Mr. Paul (percussão), Marcos Moura (flauta e acordeon), Sergio Villarin (teclado) e Jane Duboc nos vocais.

Em 1983 o grupo lançou o álbum "Depois do Fim"que é considerado por vários críticos internacionais com um dos melhores álbuns de rock progressivo  feitosApesar de ter sido gravado na década de 1980,  época do rock neoprogressivo, o álbum possui características marcantes da  primeira fase do gênero (década de 1970). Algumas faixas são instrumentai sao passo que outras apresentam alguns trechos com vocais em português, com influências debandas como Renaissance e Curved Air.

Mesmo com enorme sucesso alcançado pela banda na Europa e Japão, a banda terminou em 1984.


Faixas do Álbum:
1 - UFO
2 - Smog Alado
3 - Miragem
4 - Pássaro De Luz
5 - Caño
6-  Último Entardecer
7 - Controvérsia
8 - Depois do Fim
9 - Mirante das Estrelas
 
Videos:
Smog Alado
Miragem
Depois do Fim

O bebê e a TV

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Por Natura mamãe e bebê

Algumas considerações antes de adotar a televisão como uma babá digital


Quem olha um bebê quietinho diante da TV, fascinado por tantas imagens, tanta luz, tanto som, chega a imaginar que aquilo pode ser uma boa alternativa para distrair os pequenos. Será mesmo? 

Um bebê precisa explorar o mundo com todos os seus sentidos: tato, paladar, olfato, visão e audição devem ser requisitados em suas atividades exploratórias ao longo do dia. A TV e os filminhos em DVD voltados para o público infantil oferecem apenas muito estímulo visual e auditivo, com imagens chapadas, bidimensionais, sem a riqueza de detalhes do mundo real. "Sem contar que diante da TV não há interação nem contato físico com outras pessoas. Um bebê precisa disso para que se desenvolva de maneira plena. Às vezes atendemos no consultório crianças com atraso na fala e, quando investigamos a rotina delas, descobrimos que são deixadas diante da televisão por horas seguidas desde muito pequenas. Basta mudar esse hábito e interagir mais com elas para que o quadro se reverta", conta Paulo Breinis, neuropediatra do Hospital Infantil Sabará. 

Frederick Zimmerman e Dimitri Christakis, pediatras e pesquisadores da Universidade de Washington, realizaram um amplo estudo sobre os efeitos da exposição precoce dos bebês à TV. Uma das conclusões a que chegaram é que o excesso de estímulo que a programação infantil oferece pode contribuir para que a criança cresça com uma capacidade de concentração mais baixa e, pior, achando a realidade um tanto quanto chata. 

Mas existe um limite seguro de tempo para expor crianças com menos de 2 anos à TV? "Tudo é uma questão de bom senso", observa o doutor Breinis. Se a rotina do bebê puder ser preenchida com brincadeiras que estimulem seus movimentos, se um adulto interagir com ele de maneira carinhosa e falar com ele olhando nos olhos, se ele tiver acesso a brinquedos simples, mas que agucem seus sentidos, a TV acabará ficando, naturalmente, em segundo plano.

New Order ou como o Joy Division dança

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Por Paulo Fernandes para rockontro.com




TRISTE DIVISÃO DA ALEGRIA

Joy Division começou em 1976 no auge do punk rock inglêsIan Curtis (vocais), Bernard Sumner (guitarra e teclados), Peter Hook (baixo e vocais) e Stephen Morris (bateria epercussão) logo passaram para a estética pós-punkagregando uma alta dose de melancoliadepressãoreforçado pelas letras sombrias e o vocal soturno de Ian Curtis.

Joy Division (Sumner, Curtis, Morris e Hook)

Foram apenas 2 álbuns lançados“Unknow Pleasures” (1979) e “Closer” (1980). Ian Curtis,que sofria de epilepsia e depressãocometeu suicídio em maio de 1980. Era o fim do Joy Division e o início do mito que persiste até hoje e continua a influenciar várias geraçõesroqueiras.


DAS CINZAS NASCE UMA NOVA ORDEM

Sumner, Hook e Morris decidiram tocar o barco em frentemas com um nome diferenteNew Order. A tecladista Gillian Gilbert foi agregada à turma.

New Order (Gilbert, Sumner, Hook e Morris)

As primeiras gravações do New Order, assim como o primeiro álbum “Movement” (1981)soam bastante parecidas com as do Joy Division, mas não tarda para eles encontrarem umaidentidade sonora inconfundivelmente distintaao pós-punk juntam-se mais elementos demúsica eletrônica (a banda ama o Kraftwerk) e dance musicalém de um clima mais alegre eotimista.

pioneirismo do New Order nessa seara sonora forjou até um gênerodance rockEu diriaque é uma música que é ótima para ouvirsem enjoar, e ótima para dançarOu seja uma dasmelhores coisas do rock oitentista.


banda  lançou 9 álbuns de estúdiosendo que o melhor de sua produção está concentradana década de 1980, a excelente sequência“Power, Corruption and Lies” (1983) - pelaquantidade de músicas desse disco na galeria de vídeosnão preciso nem dizer que é o meupreferido -, “Low-Life” (1985), “Brotherhood” (1986) e “Technique” (1989)


BRIGAS E SEPARAÇÕES

O New Order deu pausa entre 1993 e 1998. No começo da década de 2000, Gillian Gilbertdeixa a banda para cuidar de seus filhos (de seu casamento com Stephen Morris).



Peter Hook anunciou o fim da banda, com sua saída, em 2006. Acontece que Summner e Morris afirmaram que o New Order continuaria sem Hook. Brigas e provocações de ambos oslados têm sido freqüentes desde então.


CURIOSIDADES
 
Os nomes das duas bandas têm relação a fatos históricos da IIª Guerra Mundial: Joy Division (Divisão da Alegria) era um setor dos campos de concentração nazistas onde prisioneirasjudias eram obrigadas a se prostituir e New Order (Nova Ordem) era a política (incluindoconjunturas sociais e econômicasimplantada nos territórios ocupados pelos nazistas, e quedeveria se estender à toda Europa (e ao Mundocaso ganhassem a guerra.




MÚSICAS (VÍDEOS)
 


10 coisas para resolver antes que o ano termine

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Por Bruna Stuppiello para bebe.com.br

2013 está se aproximando mas, não pense que 2012 já acabou. Os pais ainda precisam cumprir algumas tarefas antes de estourar a champanhe. Preparamos uma lista com as mais importantes e ajudamos você a realizá-las

1-Organizar e doar os brinquedos

O Natal é a época em que seu filho irá ganhar muitos presentes, portanto, para que haja espaço para os novos brinquedos, é interessante doar antes alguns dos antigos. “O primeiro critério para decidir qual mandar embora é perguntar à criança se ela ainda brinca com o brinquedo. Não questione se ela gosta do objeto, porque, nesse caso, há o risco de ela responder de forma positiva para todos”, explica a personal organizer Ingrid Lisboa.  

Também é interessante realizar dois descartes. “Um pode ser feito antes do Natal, envolvendo os objetos que a criança realmente não usa mais, e outro depois, com base naquilo que ela ganhou. Então, se ganhou muitos jogos, podem-se doar alguns antigos”, orienta a personal organizer Juliana Faria.

Para manter os brinquedos organizados, algumas atitudes podem fazer toda a diferença. Separe os objetos por categorias, jogos com jogos, carrinhos com carrinhos, e assim por diante. Procure guardar os brinquedos em caixas proporcionais ao tamanho deles. “Os pais costumam comprar caixas muito grandes e, em vez de organizar, elas só encaixam a bagunça”, conta Lisboa. Em cada caixa, coloque etiquetas com o nome ou o desenho referente ao conteúdo, caso seu filho não saiba ler.

Outra sugestão interessante e que pode começar a ser feita a partir de um ano e meio de idade, é separar os brinquedos em kits. “Faça três kits. Um deles fica dentro do quarto para a criança brincar e os outros dois ficam guardados. Uma vez por semana, ou a cada quinze dias, troque os kits. O recurso faz com que a criança tenha um melhor foco na hora de brincar e não queira mudar de atividade a todo o momento”, justifica Faria.      

2-Organizar o armário de roupinhas
A organização das roupas das crianças pode ser feita de duas formas. A tradicional que é por categorias, como short com short, camiseta com camiseta, etc. “Porém, se os pais quiserem que a criança tenha mais autonomia ao se vestir, eles podem fazer conjuntos de roupas para toda a semana, para a criança se vestir sozinha.  Mas, deixe as roupas de passeio ao acesso só do adulto, para que o pequeno não a eleja na hora de brincar”, explica Faria.

É interessante pendurar, nos cabides, os casacos, camisas, vestidos e saias. As calças podem ir nas gavetas, já que ainda são pequenas. A peça que não servir mais deve ser doada.  

3-Negociar a matrícula escolar
Algumas escolas oferecem descontos, que costumam ser de 10 a 20%, para quem adiantar a matricula. “Se você tiver dinheiro, pode aproveitar o desconto. Outra opção é fazer um crédito, que vale a pena caso o desconto seja maior do que os juros do empréstimo”, explica o consultor financeiro Mauro Calil, fundador da Academia do Dinheiro. 

Pagar o semestre ou o ano de uma vez também pode ser interessante, desde que o abatimento seja bom. “Se conseguir de 10 a 15% de desconto para pagar o semestre à vista, vale a pena retirar de uma aplicação financeira”, diz Calil.

4-Decidir o que fazer com o 13º salário
Vale a pena utilizar o seu 13º salário para investir em seu filho. Assim, no futuro, ele poderá pagar a faculdade, um curso no exterior ou até mesmo a primeira casa. “Quanto mais cedo começar a investir, melhor. Para crianças até três anos, recomendo o investimento na bolsa de valores via carteira própria, pois dá tempo de se acumular uma boa quantia, já que você ficará investindo por, no mínimo, 10 anos”, conta Calil.

Para investir bem na bolsa de valores, Calil recomenda seguir cinco princípios estipulados pela Academia do Dinheiro: invista com congruência e consistência; reinvista os juros e os dividendos; invista em empresa e setores que crescem, como o bancário; diversifique seus investimentos, aposte em empresas e setores diferentes; mantenha-se atualizado e atuante, faça cursos e, ao obter informações, aja.

Caso você não se sinta segura em investir na bolsa de valores, há outras duas possibilidades. “Os fundos de investimento e os planos de previdência privada também são boas alternativas”, diz Calil. Lembre-se de investir com certa frequência. “No meu caso, eu escolhi três ocasiões: aniversário, Dia das crianças e Natal”, afirma Calil.

5-Preparar-se para as festas com o pequeno
Passar o Natal e o Ano Novo ao lado do seu filho é uma delícia, mas é importante tomar alguns cuidados. O principal deles é em relação à alimentação. “A partir de um ano e meio, a criança pode comer a mesma comida dos adultos. Porém, não é recomendado que ela consuma gordura em excesso, comidas apimentadas e oleaginosas, como a amêndoa. Na ceia, é melhor evitar o tender e outros embutidos, devido à quantidade de sal”, explica o pediatra e nutrólogo Fábio Ancona Lopez, professor da Universidade Federal de São Paulo.  Estes cuidados devem ser tomados até a criança completar quatro anos.

Não faça com que seu filho espere até a ceia para se alimentar. “A prioridade da criança está na frente do social, então, se ela sentir fome às 19:00, alimente-a neste horário”, aconselha Lopez.

Além da dieta, decidir o que vestir nas festas de fim de ano também é importante. Porém, é preciso ficar atenta a alguns detalhes para o seu filho ficar lindo e confortável com o modelo escolhido. “A tendência atualmente é trazer bastante do mundo da moda adulta para o infantil, então aposte em cores mais vibrantes e luminosas, fugindo do clássico azul e rosinha”, orienta Renato Shibukawa, editor do Senac Moda  Informação.

No Ano Novo, você pode apostar no branco para o seu filho, mas procure algo diferente da cor chapada. “Hoje está na moda trabalhar com camadas e a mistura de materiais e tecidos, então pode ser interessante o babado para as meninas e a sobreposição para os meninos”, indica Shibukawa.

Lembre-se de que o conforto é essencial para as crianças e bebês. “Quando for escolher a roupinha, toque na peça por fora e também no avesso, note se o tecido é macio, se não tem acabamentos duros e se os bordados estão cobertos com entretelas macias”, orienta Shibukawa. Também é interessante puxar a roupinha para notar se ela tem elasticidade.

6-Organizar os papéis
É interessante separar as contas por categorias e por anos. Então, procure deixar todas as contas de luz de 2012 juntas e coloque-as em uma local juntamente com todas as contas deste ano. “A recomendação é guardar as contas por cinco anos para depois jogá-las fora. A divisão por ano ajuda no momento de saber quais poderão ser dispensadas”, orienta a personal organizer Juliana Faria.

7-Preparar-se para as férias das crianças
Final de ano é a época em que as crianças saem de férias e, com elas em casa, cabe aos pais inventar programas para a garotada. Em casa, a partir dos dois ou três anos, os pais podem promover encontros dos filhos com os amiguinhos. “É importante brincar não só com adultos mas, também, com outras crianças”, diz a antropóloga e pesquisadora do imaginário infantil Soraia Chung Saura, professora da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo.

Procure realizar atividades que envolvem a natureza, em ambientes amplos. “Leve a criança a um parque, por exemplo, onde ela terá espaço para brincar. Faça esse tipo de programa pelo menos duas vezes por semana. Também pode pegar pedrinhas, areia, água e deixar que o pequeno brinque”, orienta Saura. Atividades na cozinha também são boas opções, as crianças podem ajudar a mamãe a cozinhar ou fazer massinhas com farinha e água.

Não é preciso oferecer atividades a todo o momento para seu filho. “Porém, a criança precisa ter opções para investigar. Não adianta brincar, apenas, com brinquedos, porque isso limita a possibilidade de criação”, diz Saura. Portanto, deixe seu filho brincar com potinhos, garrafas, madeira, entre outros.

8-Planejar as compras de Natal
Fazer as compras de Natal não é, por si só, uma tarefa fácil. E com crianças pequenas, a missão fica ainda mais difícil. Então, programe-se bem. “Para evitar shoppings e comércio lotados, evite fazer as compras nos finais de semana e após o dia 20 de dezembro”, sugere o economista Emilio Alfieri da Associação Comercial de São Paulo.

Procure pesquisar bem os preços entre uma loja e outra. Evite levar seu filho para as compras de Natal, especialmente se não for comprar o presente dele naquela ocasião.

9-Trocar os objetos do seu filho
Se seu filho está crescendo, chegou a hora de trocar ou descartar alguns objetos. É o caso da cadeirinha , da chupeta, do paninho, do berço e da mamadeira.

10-Fazer uma lista de desejos
 O que você deseja para 2013? Pode ser adquirir uma casa própria, engravidar novamente, mudar de emprego, entre outros. Então, faça uma lista com seus planos para o ano que se aproxima. Assim, é mais fácil se organizar e realizar seus sonhos! 

Natal e paz

terça-feira, 25 de dezembro de 2012


Ajude seu filho a se comunicar melhor


Por Huggies Turma da Mônica para bebe.com.br

Cinco orientações certeiras para você manter uma boa comunicação com o pequeno que está começando a falar


Seu filho começou a andar, ganhou certa autonomia e, pronto, de repente, ele quer se comunicar todo tempo. Por isso, é essencial você saber como orientá-lo a se expressar desde o comecinho dessa nova etapa. Veja cinco dicas valiosas!
  1. O modelo que fala - Se nós sabemos que os bebês aprendem por imitação, quanto mais cuidadosa e delicada for a nossa forma de falar com eles, melhor também eles se comunicarão. Use sempre as expressões mágicas "por favor", "obrigada" e, "com licença" mesmo que para atos banais, como ao vesti-lo. Assim, com o tempo, ele passará a usar as expressões dentro do contexto.
  2. Fale claro, baixo e devagar - Quando a criança se irrita, muitas vezes sem notar, o adulto entra na mesma sintonia. Daí, a conversa fica tensa e difícil de fluir. Por isso, procure falar com seu filho em um tom de voz um pouco mais baixo do que seu normal, e verá que isso o deixa ainda mais atento, afinal, ele precisará se esforçar para ouvir. Diga claramente o que quer ("Filho, eu quero que você pegue este brinquedo do chão") e demonstre que aquilo é importante.
  3. Dê opções - Muitas vezes, a criança se sente contrariada por receber uma ordem, como se não tivesse direito de escolha própria. A melhor forma de ajudar seu filho nessas situações é mostrar que, sim, sempre há algo para ele escolher. Por exemplo, tomar banho é uma obrigação, ele não pode fugir, mas ele pode escolher se quer o xampu de cor amarela ou verde. Ele pode optar entre a toalha com ou sem capuz, e assim por diante. Direcionando para que ele se concentre na preferência por A ou B, o pequeno naturalmente se mostrará mais colaborativo.
  4. Reforço positivo - A criança resolveu colaborar? Elogie! Comente como a atitude foi legal e, quando papai chegar em casa, conte os méritos conquistados na presença do pequeno (deixe para relatar as birras e dificuldades depois que a criança for dormir, para que ela não sinta que seus escândalos dão ibope).
  5. De dentro do coração - "Fiquei chateada!" "Tô feliz!" É muito importante que os adultos comecem a nomear os sentimentos para a criança, falando com franqueza sobre o que cada atitude a fez sentir. Assim, aos poucos, ele também aprenderá a identificar o que sente e poderá dizer. Uma conversa em que os dois interlocutores sabem se expressar é muito mais saudável e pacífica.

A chegada da babá

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Por Huggies Fraldas da Mônica para bebe.com.br

O fim da licença-maternidade está próximo e você planeja deixar seu bebê em casa com uma cuidadora? Então, é hora de se planejar. O ideal é combinar - com um ou dois meses de antecedência - que a futura babá passe algumas horas com a família no período de duas semanas. 

Assim, a profissional pode ir conquistando a criança. Se o bebê sinalizar que aceita sua presença, numa segunda etapa ela pode acompanhar vocês em um rápido passeio de carrinho. Depois, ela ficará ao seu lado como observadora, entendendo o jeito materno de fazer. Conforme o entrosamento, em pouco tempo ela estará dando banho, trocando a fralda e interagindo completamente com ele. Depois, a mamãe vai levemente saindo de cena, até que, em sua ausência, a babá assume a tarefa. 

Rotinas sagradas - Todo bebê tem uma rotina. Só precisamos saber qual é! Se ele gosta de dormir pela manhã, nada de querer impor um despertar às 6 horas só porque a babá chegou. É muito importante respeitar o esquema já sinalizado pelo bebê em relação às sonecas, ao banho, às mamadas, à alimentação e à recreação - horário e local para brincar. Mesmo que vá fazer um revezamento de cuidadoras (um dia com a babá, outro com a avó ou com o pai, por exemplo), é fundamental que a rotina seja sempre a mesma, para não irritar ou confundir o bebê. A previsibilidade é mais uma forma de dar segurança ao pequeno, assim ele sabe o que vai acontecer mesmo sem a mamãe estar por perto. 

Selo de confiança - O principal ingrediente da relação entre mãe e cuidadora é a confiança. É preciso que você confie nela, por isso procure indicações de profissionais e observe atentamente os sinais que seu filho dá quando está com ela. Se promover uma funcionária doméstica -– que já trabalha com a família – ao cargo de babá, há uma dica valiosa: ofereça a ela um curso de cuidados com bebê, para que se torne ainda mais capacitada. 

É importante que a babá confie em você para lhe contar tudo que se passou, sem medo de bronca quando algo dá errado (caiu e machucou, por exemplo). Uma relação franca e profissional, em que cada uma sabe seu papel, é a que vai beneficiar seu filho.