Páscoa

domingo, 31 de março de 2013


Páscoa,

Tempo para renovar. Refletir e acreditar no amor pelo próximo!

Patricia Finotti Opinião

Disco Nota 11: Mr. Natural - Bee Gees

sábado, 30 de março de 2013

Por Pedro César Fernandes para rockontro.com.br




OS IRMÃOS GIBB

Os Brothers Gibb estiveram em atividade desde a década de 1960 e atravessaram várias fases estilísticas (e modismos musicais), quase sempre com muito sucesso.

Os irmãos BarryRobin e Maurice Gibb nasceram na Ilha de Man, Inglaterramas também costumam ser associados à Austrália que mudaram-se para aquele país quando ainda eram crianças, em 1958.

Robin, Barry e Maurice no início da carreira

Com pai e mãe músicosfoi natural a inclinação dos irmãos para a carreira musical.

Em 1967,  com o nome Bee Geesapós o lançamento de dois álbuns na Austrália, a turma resolveu voltar à Inglaterraonde teriam melhores condições de fazer a carreira deslanchar.

Os Bee Gees em sua fase psicodélica

Numa combinação de sorte e talento não precisaram esperar muito: no final de 1967 estouraram nas paradas com o single Massachusets. A este se seguiram vários outros sucessos naquele fim de década.

início da década de 1970 não parecia muito promissor ao grupo, o sucesso na década anterior havia ficado para trás e eles quase se separaram (na verdade Robin chegou a sair do conjunto em 1969 e lançar um disco solo). Apesar do declínioainda conseguiram emplacar os hits How Can You Mend a Broken Heart Run to Me nessa época.


SOUL DE BRANCO

Foi  que veio o estalo: em 1973 mudaram-se para os Estados Unidos e entraram em contato com o soul e o funk, ritmos que estavam numa fase áurea naquele país.


“Mr. Natural” foi lançado em 1974, quando quase todos decretavam o fim da carreira dos Bee Gees. Para mim é um disco inesquecível porque na época eu estava apaixonado por umamenina e ela curtia muito “Mr. Natural”.

O disco traz uma mudança de estilo do conjuntopenso que está para os Bee Gees assim como “Sgt. Peppers” está para os BeatlesTodo o disco é bommas existem algumas pérolasCharadeTrow a PennyVoicesDogsMr. Natural e Elisa.



Apesar do disco não ter feito o merecido sucesso, o redirecionamento musical que ele se propunha mostrou o caminho que o conjunto perseguiu, em lançamentos posterioresao radicalizar o soul e embarcarna primeira horana onda da disco music e ter o sucesso(dessa vez planetário) de volta.   



FAIXAS


Lado 1
1) Charade (Barry, Robin)
2) Throw a Penny (Barry, Robin)
3) Down the Road (Barry, Robin)
4) Voices (Barry, Maurice, Robin)
5) Give a Hand, Take a Hand (Barry, Robin)
6) It Doesn't Matter Much to Me (Barry, Maurice, Robin)

Lado 2
1) Dogs (Barry, Robin)
2) Mr. Natural (Barry, Robin)
3) Lost in Your Love (Barry)
4) I Can't Let You Go (Barry, Maurice, Robin)
5) Heavy Breathing (Barry, Robin)
6) Had a Lot of Love Last Night (Barry, Maurice, Robin)
7) Elisa (Barry, Maurice, Robin)


MÚSICAS


  

Coro Sinfônico de Goiânia se apresenta no domingo de Páscoa

sexta-feira, 29 de março de 2013

Por Secult/Goiânia

O Coro Sinfônico de Goiânia se apresenta no dia 31 de março, às 11h, no Teatro Goiânia, sob regência de Marshal Gaioso. No programa, obras de Ergolesi e Guarnieri, com a participação das solistas Rose Dália Carlos (soprano) e Joana Azevêdo (contralto)

O Coro
Fundado em outubro de 1999, o Coro da Fundação Orquestra Sinfônica de Goiânia é resultado da fusão do antigo Coral Municipal com a Camerata Vocal de Goiânia. Sua fundação e manutenção é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Goiânia, por meio da Secretaria de Cultura.
Formado por profissionais da música, seu repertório contempla desde obras corais a cappella à grandes obras corais-sinfônicas, buscando sempre valorizar a literatura coral brasileira, ao lado do repertório internacional.
O trabalho do Coro tem por objetivo difundir e socializar a arte da Música em nossa comunidade, apresentando-se em eventos públicos, realizando recitais solo ou em conjunto com a Orquestra Sinfônica de Goiânia. Um trabalho disciplinado e compromissado com a mais séria realização artística coloca-se ao lado da excelência, elemento dos melhores coros do país.

Weber Assis, regente do Coro possui graduação em bacharelado em canto pela Universidade Federal de Goiás (2005) e graduação em educação artística com habilitação em Música, também pela UFG (2000).

As solistas
Joana Azevêdo
Possui Mestrado em Regência Coral (2003) e Graduação em Instrumento Piano pela Universidade Federal de Goiás (1982). Fez cursos de especialização em Canto também na UFG. Atualmente é professora assistente III da Universidade Federal de Goiás. Atua como docente na EMAC/UFG nas áreas de Regência Coral e Canto, preparação vocal e musical de Coros e recursos da voz falada e cantada para os alunos de Artes Cênicas.

Rose Dália Carlos
Soprano, nascida em Goiânia, inicia seus estudos em música aos 14 anos, na Escola Gustav Ritter, e logo após, entra para a classe de piano. Em 2007 iniciou seus estudos em canto com o Ms. Weber Assis, na Escola de Artes Basileu França (Veiga-Valle). Foi membro do coro da Fundação Orquestra Sinfônica de Goiânia (antiga FOSGO, atual OSGO), sob regência dos maestros Ângelo Dias e Carlos Vitorino, no qual permaneceu de 2008 a 2011. No ano de 2011 ingressou na Universidade Federal de Goiás (UFG) para cursar Bacharelado em Canto Lírico. Tem realizado concertos atuando como solista junto ao Coro da Orquestra Sinfônica de Goiânia, Coro da Graduação e de Câmara (UFG), Orquestra Filarmônica de Goiás e Orquestra Jovem de Goiás, sendo regida pelos maestros Angelo Dias, Eliseu Ferreira, Joana Cristina e Marshal Gaioso. Também participa de concertos camerísticos junto ao Pró-Música de Goiás. Atualmente cursa o quarto período de canto na Universidade Federal de Goiás sob orientação da professora Dr.ª Marília Álvares.

Feira de Quintal leva o músico Evaldo Robson a Pirenópolis na Semana Santa

quinta-feira, 28 de março de 2013

Para as Motherns que quiserem curtir uma Semana Santa bem animada em Pirenópolis!

Por Comunicação sem Fronteiras

Reconhecido internacionalmente, o saxofonista e flautista Evaldo Robson coleciona em seu currículo a participação em shows e gravações de grandes nomes da música brasileira. Em Pirenópolis, irá tocar ao lado de músicos locais e promete o melhor da MPB, jazz e World Music

A Feira de Quintal prepara uma formação musical sui generis para este feriado da Semana Santa, que certamente irá agradar aos turistas que curtem música instrumental popular. A casa convidou o saxofonista e flautista Evaldo Robson para integrar a formação musical que se apresentará em trio e quarteto durante vários dias do feriado (29 a 31 de março).

Sax, flauta, guitarra, bateria e baixo serão os instrumentos que irão compor a formação integrada também pelo guitarrista e violonista Rodrigo Mazza, pelo baterista Ricardo de Pina e pelo baixista Eudimar Carvalho, músicos locais. Juntos, eles prometem uma verdadeira viagem instrumental através das mais belas melodias escritas por alguns dos principais compositores do Brasil e do mundo. O repertório inclui MPB, World Music e jazz.

De sexta à domingo, a partir das 13h, Evaldo se apresentará, em Trio, com um repertório popular com canções de Caetano Veloso, Djavan, Rita Lee, Michael Jackson, Beatles, Phill Collins, entre outros.

No sábado, a partir das 20h30min,  Evaldo Robson estará em Quarteto e fará um concerto com repertório ampliado e mais sofisticado. A MPB e a World Music estará presente ao lado de canções de Hermeto Pascoal, Edu Lobo e outros nomes da música instrumental.

Evaldo Robson circula no meio musical e coleciona participações em shows e discos de renomados artistas da MPB como Caetano Veloso, Djavan, Maria Bethânia, Sandra de Sá e os imortalizados Cássia Eller e Emílio Santiago. O músico já excursionou por todo país e pelos Estados Unidos, Portugal, Inglaterra, França, Bélgica, Argentina, Venezuela e Uruguai.

Mais atrações da programação cultural
da Feira de Quintal  para a Semana Santa

Voz e violão na quinta-feira, 28/3, a partir das 20h30min
Para a abertura da programação do feriado da Semana Santa, a Feira de Quintal convidou o artista Marcelo Del Matos que, com voz e violão,  apresentará um repertório sólido de música brasileira. Composições de João Donato, Chico Buarque, Nelson Cavaquinho e Noel Rosa permeiam a apresentação de Marcelo ao lado de canções autorais. Marcelo Del Matos é goianiense e ingressou na carreira musical nos anos 1980. Já passou por diversas casas noturnas em Goiânia e suas canções foram gravadas por artistas como Célia Porto, Dillo Daraújo, Indiana Nomma e Juninho Di Sousa. Há três anos é morador de Pirenópolis, onde atua como músico e pesquisador de estilos musicais como samba, bossa nova, carimbó, baião e suingue.

Sexta-feira, 28/3, a partir de 20h30min
A MPB do cantor e compositor Marcelo Del Mattos será encorpada pela bateria de Ricardo de Pina e pelo baixo de Eudimar Carvalho. Ambos músicos são de Pirenópolis e tocam juntos em em casas noturnas de Pirenópolis, Goiânia, Brasília. O baterista Ricardo de Pina iniciou os estudos de bateria há 14 anos e é autodidata. Em 2012, integrando o Quinteto Popular Brasil, ele realizou turnê no Chile. Atualmente, está no projeto Quatro Elementos, idealizado pelo baixista e compositor Bororó. Ao lado do grupo, Ricardo se apresentou no programa Sarau da Globo News.

Estudioso de baixo desde os 15 anos, Eudimar estudou na Escola de Música de Brasília e recebeu aulas de renomados professores como Ian Guest, Massimo George, Jorge Helder e outros.  Passou por vários estilos musicais e hoje atua como professor em Brasília, além de participar de  apresentações musicais no circuito  de Pirenópolis, Goiânia e Brasília.


Palco aberto no domingo, 31/3, a partir das 19h
No domingo, a Feira de Quintal libera o palco para músicos iniciantes e clientes que praticam o canto assumirem os microfones da casa. Eudimar Carvalho, Ricardo de Pina e outros músicos assumem os instrumentos para quem quer soltar a voz, criando assim uma verdadeira mistura de expressões entre experientes artistas e aqueles que estão começando.  Este é o Palco Aberto, uma maneira de criar oportunidade para a criatividade, descontração, parceria, desafios, e também muita generosidade por parte das pessoas envolvidas em uma grande oficina musical, cujo resultado tem encantado, divertido e surpreendido a todos.



Sobre a Feira de Quintal
Riqueza  e diversidade cultural são os atributos da Feira de Quintal, que semanalmente acolhe músicos com atuação nacional e internacional dos mais variados estilos e expressões. Situada em Pirenópolis, Goiás, Feira de Quintal é um espaço de cultura e lazer para os turistas e moradores da cidade. Em seu espaço, o visitante desfruta de  música, gastronomia, poesia, exposições, moda e artesanato.


Agenda Feira de Quintal para a Semana Santa
Evaldo Robson apresenta música instrumental popular em trio
Datas: 29, 30 e 31 de março (sexta à domingo)
Horários: a partir das 13h.

Evaldo Robson apresenta música instrumental popular em quarteto
Datas: 30 de março (sábado)
Horários: a partir das 20h30min

MPB em voz e violão
Data: 28 março (quinta-feira)
Horários: a partir das 20h30min

Trio de MPB na sexta
Data: 29 março (sexta-feira)
Horários: a partir das 20h30min

Palco Aberto no domingo
Data: 31 março (domingo)
Horários: a partir das19h



Feira de Quintal
Endereço: Rua Rui Barbosa, nº 31, Centro Histórico - Pirenópolis (Próximo à Praça do Coreto)
Facebook: feira de quintal

Para emular Pedro Lourenço

quarta-feira, 27 de março de 2013

Adoro Pedro Lourenço, o estilista filho de dois grandes ícones da moda Brasileira, é conceitual, clean, a mais pura alta qualidade e beleza quando falamos de moda. Como reflexo disso, as passarelas Parisienses.

Na última Tam nas Nuvens a capa com o Príncipe Made in Brazil. E claro, uma reportagem com o único Brasileiro na Semana de Moda de Paris. 

Para vocês, aqui algumas dicas Dele, para quem gostaria de emular seu estilo. Amei!

- Invista em camisas clássicas, com gola pequena, mais ajustadas, mas nunca acinturadas.

- Camisetas brancas, como as da Hering, são coringas e caem muito bem com uma calça preta.

- A combinação de preto e branco é sempre boa.

- Compre um jeans tipo Levi´s slim, em preto ou branco, clássico, sem rebite.

A saga da verdura ainda continua

terça-feira, 26 de março de 2013

É interessante esta história do filhote não querer comer. O meu, como algumas das crianças que conheço, não gosta de verde. Para ele verde são verduras, legumes e frutas. Maçã e abóbora ele gosta muito. Ah! Tem também a mandioca e a batata salsa...



Mas, o que me preocupava mesmo foi o período em que ele não queria comer. E como não preocupar.  Diziam que era a fase, e que logo passaria. Realmente passou, algumas verduras foram ganhando a vontade do paladar dele, e continuo na espera que outras virão.




Hoje aprendi a respeitar a vontade e personalidade gastronômica dele, como já disse em post publicado no portal Minha Mãe que Disse: http://minhamaequedisse.com/2012/08/um-mini-cake-de-brigadeiro-para-dois-por-favor/


Mãos na Massa



Ainda sim, minha saga continua. As táticas vão mudando, uma vez vi um livro infantil sobre experiências com comida. Pensei, "já que ele ama leitura e é muito curioso, quem sabe?". “Aquela cenoura laranja destacada na capa seria um bom atrativo para ganhar o paladar de Rubens”. Ledo engano. O livro para pequeno cientista foi colocado de lado...


Então outro dia, a meninada na chácara do Tio Alberto, toda reunida... A tia Denyse, ansiosa pela chegada da cegonha, decidiu dar uma aula de culinária para acalmar os ânimos dos pequenos. Tema Como fazer um DELICIOSO bolo de cenoura, com a Maravilhosa cobertura de chocolate. “Eba!!!” gritaram todos extremamente animados.



A experiência foi toda registrada pela mamãe fotógrafa oficial da família. Pré-crianças e bebês integraram a turma. Durante a aula, noções de higiene, alimentação e nutrição, postura social, foram assimiladas.  Mas, a "verdura laranja" no paladar do Rubão, ainda não!

Semana do Profissional da Contabilidade já tem nomes confirmados

segunda-feira, 25 de março de 2013

Por Ascom/CRC-GO

Entre os dias 22 e 26 de abril o CRC-GO realizará a Semana do Profissional da Contabilidade.

Nos dias 22 a 24 e 26, serão realizadas palestras nas instituições de ensino superior de Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. No dia 25, a programação se concentra no CRC-GO, a partir das 08h. A comemoração segue até às 21h30, e tem as presenças confirmadas da Secretária Gláucia Maria Teodoro Reis, da jornalista Patricia Finotti, dos palestrantes Roberto Martins e Rafael Medeiros Filho.

Várias ações estão sendo desenvolvidas para marcar esta importante data para a profissão contábil. Fique de olho nos detalhes da programação e participe!



Cadeirinha de carro para um transporte seguro

Por Bruna Stuppiello  para bebe.com.br

Especialistas apontam o que você deve levar em consideração ao escolher o dispositivo de retenção infantil e ensinam como posicionar seu filho, de forma correta, na cadeirinha. 

O dispositivo de retenção infantil, mais conhecido como cadeirinha, é essencial para a segurança das crianças nos veículos. De acordo com uma pesquisa do Departamento de Transportes dos Estados Unidos, o acessório reduz o risco de morte dos passageiros de carro em 71%, no que se refere aos bebês e 54%, quando se trata de crianças de um a quatro anos.

No Brasil, os resultados também são positivos. Durante o primeiro ano de vigência da Lei da Cadeirinha, o número de mortes de crianças com até 10 anos em acidentes de trânsito diminuiu 23%. Então, saiba como comprar a cadeirinha certa para seu filho e quais os cuidados para sua instalação.

Os grupos de cadeirinha
De acordo com o a engenheira Milene Cleto, técnica da divisão de programas de avaliação da conformidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), as cadeirinhas são classificadas segundo o grupo de massa. “Esse critério envolve o peso, a idade e o tamanho aproximado da criança. Mas, o peso é o quesito mais relevante”, explica Cleto.

Os tipos de dispositivos de retenção infantil disponíveis estão divididos em:

Grupo 0:  este bebê conforto é voltado para bebês de até 10 quilos, altura aproximada de 0,72 cm e até 9 meses de vida;
Grupo 0+: este outro modelo de bebê conforto é destinado a bebês de até 13 quilos, com altura de 0,80 cm e até 12 meses de vida;
Grupo 1: esta cadeirinha é indicada para crianças de 9 a 18 quilos, cerca de um metro e idade até 32 meses;
Grupo 2: esta cadeirinha ou assento de elevação é voltado para crianças de 15 a 25 quilos, 1, 15 metro e com idade de até 60 meses;
Grupo 3: é voltado para crianças que pesam entre 22 e 36 quilos, 1,30 metro de altura e até noventa meses de idade.

Existem dispositivos que podem ser usados por crianças de até 10 anos, mas a obrigatoriedade é até os sete anos e meio. “Com a altura entre 1,35 e 1,40 metro, a criança pode deixar o assento de elevação, desde que o cinto passe nos pontos corretos”, explica o médico especialista em tráfego, Mauro Augusto Ribeiro, presidente da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego.

A compra da cadeirinha
Ao adquirir o dispositivo, os pais devem ficar atentos a algumas questões. “É importante que eles observem como ele se adapta ao carro, além das facilidades de instalação. Também vale fazer com que o filho se sente na cadeirinha, a fim de avaliar se está confortável”, aconselha o engenheiro mecânico Celso Arruda, professor de segurança veicular do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Há cerca de 90 marcas de cadeirinhas no mercado nacional e as variações de preços são grandes, porém, isso não significa que seu filho correrá riscos se você optar por um modelo mais barato. “Todos eles têm o selo do Inmetro e, por isso, são seguros. Existem apenas algumas diferenças marcantes. O tecido pode ser antitóxico e à prova de inflamação ou não. Também há cadeirinhas que permitem várias posições de inclinação e apoios laterais, que proporcionam maior conforto à criança”, explica Arruda.

Spiritualized: Gospel Psicodélico

domingo, 24 de março de 2013

Por Paulo Fernandes para rockontro.com




CONJUNÇÃO PLANETÁRIA

Gosto muito ( devo ter dito isso aqui) de descobrir coisas novas do passadoNeste caso houve uma coincidência de estímulos simultâneos: o Fábio Lara havia me passado algumas músicas do Spiritualizedgrupo que até então eu não conhecia, e li sobre esta banda no livro“1001 Discos para Ouvir antes de Morrer”Dois dos álbuns do Spiritualized fazem parte dos tais “1001 Discos”: “Lazer Guided Melodies” (1992) e “Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space” (1997).



Comprei esse último álbum, em vinil numa capa desenhada como embalagem de remédio, egostei muito.


GOSPEL PSICODÉLICO

música do Spiritualized é cheia de climascamadas e nuances. Variações melódicas e rítmicas que não dão lugar à monotonia e à indiferençaUma sonoridade inusitada é a utilização de elementos melódicos e harmônicos do gospel.



Surgido das cinzas do Spacemen 3grupo de space rock inglês, o Spiritualized tem como principal força-motriz o cantor, compositor e multi-instrumentista Jason Pierce (também conhecido pelo codinome J. Spaceman)  



Entre 1992 e 2012 o grupocujo único membro fixo é Pierce, lançou 7 álbuns de estúdio, com destaque para o excepcional “Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space” de 1997, com seu “gospel psicodélico em canções confessionais sobre corações partidos e abuso de drogas”.



MERGULHO NO INFINITO

Tarefa difícil é tentar definir a música do Spiritualized,  mesmo escutando-a e mergulhando de cabeça nesse mar (ou seria o espaço sideral?) de infinitas possibilidadespor vezes calmo,por vezes agitadomas nunca chato e sempre beloinquietante e surpreendente.




MÚSICAS


: